Montes Ermos reserva branco 2013



Vinho do douro, perfil reconhecivel, muito limpido com bela frescura, elegante, picantezinho como gosto, nao se notam os 13,5% que podem ser assustadores. Vinho que custou cerca 3,50€... mais que ajustado. Excelente compra. Quem nao se lembra dos relogios todos a tocar ao mesmo tempo no inicio do classico TIME dos Pink Floyd, a limpidez do som, os instrumentos a saltar de todo o lado, foi um album que mostrou acima de tudo uma grande banda e um grande engenheiro de som. É a minha musica para este vinho.

Bacalhôa moscatel roxo 2001




Moscatel roxo e charutinho de gila da doçaria de são vicente de braga...que combinação genial... wow! Este moscatel é sem dúvida uma excelente alternativa aos vinho do Porto e Madeira. Aprovadissimo!

Maria Mansa tinto 2010


Vinho entrada de gama de uma quinta que dispensa apresentações, Quinta do Noval. Este vinho já da colheita de 2010, ano que aparentemente nao produziu vinhos extraordinários no curto prazo mas poderão usufruir de um grande envelhecimento. É um vinho com corpo menos robusto do que os habituais Douro, com excelente elegância e uma acidez que fazem dele um vinho bastante gastronómico. Bebe-se muito bem, bem de mais até porque quando dei por ela a garrafa já ia a meio e acompanhado de um bacalhau cozido, aliás devo dizer que maridou bastante bem. Não é vinho frutado nem guloso na boca, é um vinho á moda antiga quase a lembrar um Dão e de baixo teor alcoólico o que é de saudar, apenas 13%.
Este vinho vai perfeito a ouvir "A dream of you and me" dos Future Islands.
Belo vinho ! Boa musica...a fazer lembrar uns anos 80! Está lá o sintetizador, o baixo e falta a guitarra ou não...combinação perfeita para quem anda nostálgico.

Binhão é tradição, Vinhão é vinho



Parece-me bem que o proximo post deste blog reflicta alguma da minha história, algo que assisti em família até poder um dia experimentar, era como atingir a maioridade. Falo-vos de um vinho que pinta a malga onde é servido, que alimenta a gente em qualquer acto social. É tradição, deve-se manter mesmo que por vezes custe a beber o dito, porque tem a tradição que se adaptar ao mundo moderno de facilitismos e não acontecer precisamente o contrário. Foi precisamente por o mundo se adaptar a nós que a natureza sofre e o próprio ser-humano. Vamos manter vivas certas tradições que são o cunho da nossa natureza, o homem mede-se pelas rugas e calos que tem na mão…mão essa que deu origem a este vinho…desculpem Binhão.

Gargalo godello 2011 (Branco)




A casta Godello natural da Galicia que faz fronteira com Portugal a norte do país, tem na região demarcada de Monterrei e Valdeorras o seu terroir por excelencia. Aparentemente esta casta é a Gouveio encontrada em Portugal especialmente no Douro onde entra em lotes com outras castas. Falando do vinho que trazemos hoje tem cor palha dourada bastante cristalina e brilhante, com fruta madura de excelentes apontamentos, tais como pêra assada, e citrinos tais como clementinas com os seus aromas mais elegantes, bonito floral a embelezar o conjunto, ainda algumas sugestões de mel. Na boca é amanteigado e saboroso, algo do genero do chardonnay e por falar do chardonnay nada mais ao acaso porque achei algumas similaridades com a famosa casta francesa, no amanteigado e baunilha. Gostei bastante...(88/100, cerca de 7,50€ no Alcampo em Vigo).

Propostas de verão



Dois vinhos conhecidos do publico geral, 1 deles do Alentejo de um produtor que soma prémios e o outro...bem idem aspas. Solar dos Lobos é uma marca que começa a ficar na retina dos enofilos e publico consumidor pelo seu consumo franco e direto, é um vinho muito gastronómico e apelativo pela fruta apelativa e intensa e com final prolongado. O Vega é um vinho do Douro conhecido recentemente pelo prémio de melhor compra em todo o mundo pela revista americana "Wine Enthusiast", é mais sedoso e menos frutado mas igualmente gastronómico fazendo destes 2 vinhos excelentes acompanhantes do dia-a-dia.
Solar dos Lobos(86/100, promoção a 2,99€ no pingo doce), Vega(84/100, a 3,99€ no el corte ingles).

Prova Régia Arinto 2012


Penso que é um vinho que dispensa apresentações, está para Bucelas como o Muralhas está para a região dos vinhos verdes...dá sempre uma bela prova apesar que este 2012 comparativamente ao de 2011 perdeu em nervo e garra, e ganhou em suavidade, elegância. Precisava de mais acidez para se impor a este calor, é um vinho perfeito para acompanhar queijos de pasta mole e sem grande intensidade. Está bem feito sem duvida mas faz falta a acidez do Arinto, só um bocadito mais...(84/100, 2,99€ no Pingo Doce)

Chaminé Tinto 2011


Que é sabido que 2011 foi um grande ano ao nivel climático já se anda a falar há muito, que isso faz com que o trabalho dos enologos na adega seja mais fácilitado visto que a mãe natureza decidiu ajudar também me parece do senso comum...a matéria-prima usada neste lote de Syrah e Aragonez deveria ser de qualidade é um regresso á grande qualidade que este vinho sempre demonstrou e demonstra nesta garrafa. Aquela fruta madura, com grande expressividade e de grande qualidade, sumarento, é um vinho para se beber descontraídamente e visto que esta não é a melhor altura para vinhos tintos(o Verão parece que apareceu) leve 30 minutos ao frio antes de servir, vai ficar surpreendido. É bom, é barato para a qualidade e acompanha o que quiserem...muito gastronómico.(86/100 a cerca de 4€ no Pingo Doce)